11.set
Kendall e Olivier Rousteing concedem entrevista e ensaio fotográfico juntos a Sunday Times Style

Recentemente, Kendall e o designer da histórica casa da Balmain, Olivier Rousteing, concederam entrevista com direito a um ensaio fotográfico maravilhoso para a Sunday Times Style. Na matéria que traduzimos com exclusividade aos nossos leitores, Kendall e Olivier, são considerados grandes para a cultura pop, uma vez que Kendall é seguida por vários fãs em suas redes sociais e Olivier por ser um designer tão novo para uma marca francesa tão famosa. Confira a matéria abaixo e as fotos do ensaio fotográfico:


Kendall Jenner está alcançando o seu celular; seu todo 1,78m de altura, está se esticando para o dispositivo, mas ela simplesmente não consegue alcança-lo. Ela está tão fortemente presa à estrutura tipo corda do vestido Balmain que dobrar é impossível. No final, seu amigo, o designer Olivier Rousteing, passa o celular pra ela. Nós estamos tirando fotos o dia todo e ela precisa verificar seu feed.

Jenner é a supermodelo para a geração da selfie. Ela tem mais de 12 milhões de seguidores no Instagram – que é o dobro de Cara Delevingne. A maioria das garotas adolescentes, sempre usam cada emoticon. Quando ela postou uma foto de si mesma na capa da Love Magazine, isso teve mais de 300 mil likes, enquanto uma selfie dela em uma camisa dos Guns N’ Roses reuniu mais de 1,3 milhões. Quando se trata de ser o rosto de uma geração, ela está em uma classe própria.

A segunda filha mais jovem do clã Kardashian/Jenner, com 18 anos, Kendall cresceu no brilho do reality show, mas os fãs de Keeping Up With The Kardashians vão saber que, em vez de seguir sua irmãs mais velhas Kim, Khloé e Kourtney por volta dos shoppings, ela preferiu embarcar com seu irmão Brody ou pegar seu cavalo para alguns saltos. Ela era uma criança ao ar livre desportivo, ao invés de uma mimada rata dos shoppings de LA, mas ela amava olhar fotos de supermodelos em revistas de suas irmãs. Tanto é assim, que agora ela quer conquistar a moda. “Eu só conhecia certos nomes, como Naomi e Gisele”, diz ela. “Elas eram super-heroínas para mim, e eu queria ser uma para alguma garotinha lendo uma revista ou vendo online.”

 Mas você não pode simplesmente entrar e chamar-se de supermodelo. Moda é notoriamente arrogante, especialmente sobre as estrelas dos reality shows.  Prova disso é a reação das pessoas por sua irmã mais velha, Kim, ser a capa da Vogue americana. Naomi Campbell riu disso ao vivo na TV, James Franco e Seth Rogen lançaram uma paródia hilária sobre, e os Muppets fizeram paródia disso, sendo Kermit como Kanye e Miss Piggy como Kim. “Honestamente”, diz ela, em seu doce sotaque californiano, “Eu acho que é incrível. Eu acho que ela provou a si mesma, e se Anna Wintour quer ela, esse é um grande ‘Dane-se’ a toda pessoa que disse que ela não poderia fazer isso.”

Pessoas também disseram que Jenner não poderia fazer isso – quando você vive na órbita Kardashian, os inimigos nunca estão atrás dos amantes. Quando ela tentou pela primeira vez entrar na alta moda no começo de 2014, os tabloides ficaram no caminho. Ninguém queria fotografá-la por medo de que sua fama traria o tipo errado de atenção. “Os primeiros castings que eu fui, as pessoas estavam tipo, ‘Isso é real? Eu não entendi.’, e ‘Eu não sei se nós queremos lidar com ela, porque não sabemos se isso é sério.’”

Marc Jacobs não teve dúvidas, no entanto, lançando ela para o seu show de Nova Iorque AW14. Kim queria animar sua irmã nas cadeiras da frente, mas Kendall pediu para que ela não fosse. “Eu estou fazendo isso por mim, por minha conta. Deus, eu amo minha família, mas isso é o meu negócio, sou eu.” Com seu cabelo coberto, balançando sua peruca e sobrancelhas branqueada, ela era apenas mais uma modelo da linha. “Eu estava tipo ‘, Obrigado. Por favor, não me reconheça.”

A estratégia de Jenner de marcar para baixo sua fama é inteligente, diz a editora-chefe da Love Magazine, Katie Grand. “Ela é única em querer virar as costas para sua fama quando se trata de ser modelo. Ela quer ser levada a sério como uma modelo, assim como o resto deles.”

Em seu jeans estilo motociclista por Hudson e fones de ouvido (ouvindo Tuesday de ILoveMakonnen com Drake), ela se parece com qualquer outra aspirante a modelo. Mas Jenner é diferente.

Ela herdou a mente legal, estratégica de sua “momager” (Mãe e empresária), Kris, combinado com a determinação de seu pai olímpico, Bruce. Adicione a isso, o corpo magro, atlético de uma supermodelo dos anos 1990 e que possui tão insanamente simétrica, é quase impossível tirar uma foto feia dela.  Sua vida social é fora deste mundo, também – ela já festejou com Justin Bieber em Ibiza e até mesmo agarrou Harry Styles (eles começaram a namorar em novembro passado, mas se separaram no início deste ano).

Ela deveria ser a maior ‘criança’ da moda. Em vez disso, ela chegou 30 minutos mais cedo para a sessão de fotos, e tem estado tão focada que ela nem sequer respondeu a mensagem de Kim “Como vai?”. Ela tenta não pensar muito sobre a fama. “Quando eu saio e alguém vem até mim e eles começam a chorar ou eles estão me dizendo todas essas coisas, isto me atinge, e eu fico, ‘Uau, essas pessoas realmente olham para mim.’ Sinto-me honrada e isto me faz querer ser a melhor do que posso ser “, diz ela.

Ela dá créditos ao seu pai por fazer dela e sua irmã mais nova, Kylie, bem educadas. “Ele nos ajudou a manter a sanidade e no caminho certo. Ele sempre nos disse para manter nossas cabeças em nossos ombros e nunca colocar ninguém abaixo de você. Eu aprecio isso, porque eu vejo algumas pessoas e penso: ‘Graças a Deus que não sou eu.’ “

Sua mãe, Kris, o cérebro formidável de dominação pop-cultural das Kardashians, é, segundo ela, muito boa em “nos ensinar a ignorar o ódio”, e também ensinou uma forte ética de trabalho em suas filhas. “Ela é uma mulher de negócios. Quer dizer, eu acho que todos nós somos mulheres de negócios, todos nós naturalmente temos esta característica.”

Jenner também é uma modelo natural. Rousteing e eu vemos como ela torce seu corpo flexível em uma sucessão de poses. Kendall, ele brinca, tem o mesmo apelo que as supermodelos originais Claudia, Naomi e Linda. “Hoje vamos voltar para a década de 1990, quando a beleza, poder, atitude e confiança eram mais importantes”, diz ele. “Estranha, modelos deste gênero fazem parte do passado. Kendall não é estranha. Ela é uma mulher linda, mesmo icônica, porque todos estes jovens olham para ela no Instagram e eles querem se parecer com ela.”

O que as garotas modernas querem é algo que Rousteing instintivamente entende, talvez porque, aos 28 anos, ele ainda é jovem. “Todos os designers são mais velhos do que eu”, diz ele, com um brilho malicioso. Menino prodígio da moda francesa, ele assumiu a histórica casa de Balmain com a pouca idade de 24 anos, e rapidamente começou a desenhar algumas das roupas mais fotogênicas do planeta, descaradamente roubando da década de 1990 em busca de inspiração e amizade com os dois maiores ícones pop-cultural de nossa era, Rihanna (que atuou em sua campanha de publicidade SS14) e Kim Kardashian. “A moda acha que é ruim ser pop, mas pop significa popular,” diz ele com lógica simples. E com a popularidade vem poder.

Como suas duas musas, Rousteing está obcecado com as redes sociais. “Eu amo o Instagram. Eu acho que as redes sociais são muito importantes. As pessoas veem o show, mas amam os por trás das cenas, também, porque isso é algo real. As pessoas precisam de realidade. Essa é a minha geração.”

Ele vê tudo através do prisma das celebridades. Até mesmo o seu método para a casa histórica de Balmain é inspirado no que Rihanna iria vestir. “Ela pode ter arquivado Alaïa ou Chanel, mas na sua forma, ela o torna mais fresco e mais recente e moderno. Isso é o que eu faço com Balmain”.

Complexamente embelezado e ferozmente estruturado, seus projetos não são para tímidos,  mas Rousteing diz que seu poder de vestir é uma força positiva. “Quando você veste Balmain, você só precisa acreditar em si mesma. É como uma terapia. Você não pode usar uma jaqueta Balmain, ou o vestido que Kendall estava usando, se você não acreditar em si mesma.”

Com todas as selfies, celebridades e roupas que estão muito apertadas para dobrar, Rousteing tem a intenção de agitar a criação de moda francesa. “Às vezes eu acho que a moda se esquece de que ela fala diferentes etnias”, diz ele, e ele criou seu próprio “exército Balmain” de supermodelos de diversas etnias e musas para combater isso.

Rousteing cresceu no sul da França e foi adotado de um orfanato por pais brancos. “E agora eu sou um menino negro no ramo da moda que trabalha para uma casa de luxo francesa. Mas o que é a França hoje? O que é Paris? Paris é uma mistura de pessoas, Paris é uma mistura de etnias.”

Jenner é a mais nova recruta para seu exército Balmain e, se você verificar o seu feed nas redes sociais de hoje, você vai ver como ela aproveita sua fama para obter a sua mensagem. “Você não trabalha apenas para a moda. Você trabalha para uma ideia e ideologia do mundo. É por isso que eu quero trazer de volta a moda pop”, diz ele.

E agora você não pode ficar mais popular do que Kendall Jenner.


 

Aproveite para ler também:
Espere! Não se vá antes de deixar o seu comentário sobre o post




O Kendall Brasil não possui nenhum tipo de contato com a Kendall ou alguém próximo a ela, tampouco somos ela, somos apenas um fã site feito por fãs e para fãs a fim de informar e unir os fãs da Kendall no Brasil. Todo o conteúdo postado aqui pertence a equipe do Kendall Brasil, caso utilize pedimos que dê os devidos créditos à nós, fica proíbida a cópia total ou parcial deste layout assim como, também deste site! Esperamos que tenham gostado da visita e voltem sempre!