07.fev
Categorias: Entrevista
ENTREVISTA: “Ninguém é perfeito,” Kendall Jenner concede entrevista à Vogue Itália

Como já postamos, Kendall Jenner é a capa da Vogue Itália edição Março 2019 e além de um ensaio fotográfico cheio de fotos maravilhosas e pequenos vídeos retratando o cinema italiano, a modelo sentou para conversar com a revista e contou alguns detalhes de sua vida mais pessoal. Confira a seguir:

Um ano atrás, Kendall Jenner foi a primeira da família a tentar reestabelecer um pouco sua vida. Suas irmãs – Kylie Jenner, Kim Kardashian West, Khloé Kardashian e Kourtney Kardashian – fazem o mesmo, emitindo uma declaração conjunta de “despedida” no último dia 20 de dezembro. “Tivemos uma experiência incrível conectando com todos vocês através de nossos aplicativos nos últimos anos, mas tomamos a difícil decisão de não continuar atualizando em 2019”. Suas razões eram tão normais que podem ter parecido surpreendentes, pelo menos para aqueles que as vêem como insaciáveis “máquinas de publicidade”. “Estamos trabalhando em nossas próprias marcas, algumas de nós se tornaram mães e queremos ter mais equilíbrio entre o trabalho e a vida familiar.”

Embora Kendall Jenner ainda não tenha filhos ou uma família, era mais sobre foco na qualidade, afastando-se do lado mais cultura pop vinculado ao Instagram ou TV para entrar em uma dimensão artística mais completa. “O ensaio fotográfico para a Vogue Italia foi o destaque disso, graças também ao processo criativo em que me senti totalmente envolvida,” diz ela sentada em uma sala de estar em Nova York. Até mesmo as referências a lendas do cinema italiano que os fotógrafos Mert e Marcus criaram foram uma inspiração. “Porque ser diva significa estar no comando da sua vida. E estar plenamente consciente de si mesmo como mulher e pessoa pública.”

Os aplicativos, que eram mais ou menos indistinguíveis, estavam disponíveis em várias lojas de aplicativos. Por US$ 2,99 por mês, esses aplicativos ofereciam acesso por trás das câmeras à vida das mulheres, em uma espécie de reality show sem parar. Esse movimento é uma reversão que sinaliza, se não o fim, uma espécie de grande mudança em uma época. “É uma decisão sua quando você escolhe viver para si mesmo e não apenas para os outros,”diz Jenner, lembrando que cresceu olhando para as revistas da Vogue Itália de sua mãe e ficou impressionada com o poder icônico das capas. “Algo que você faz quando você finalmente percebe que o trabalho é importante, mas sua saúde mental também é.”

Ela cresceu em uma família que sempre esteve nos olhos do público, e ela se tornou famosa como uma mera adolescente graças ao reality show Keeping up with the Kardashians. Aos 23 anos, Kendall parece uma jovem que tem os pés firmemente plantados no chão, é introspectiva, divertida, mas nunca superficial. Com mais de 135 milhões de seguidores no Instagram, Twitter e Facebook (perfis de mídias sociais que ela obviamente continuará a manter), ela é atualmente a modelo mais bem paga, segundo a Forbes. Essa influência tem a capacidade de aumentar as vendas de uma empresa em 15% quando ela se torna o “rosto” (pelo menos de acordo com os executivos da Calvin Klein), e se ela usa um item de vestuário e publica nas mídias sociais, os resultados da pesquisa pela peça aumenta em dois milhões. “Quando as pessoas pensam em Kendall, elas só pensam na supermodelo e na diva da Internet,” diz o ator e amigo da família Scott Disick. “Mas, na verdade, ela é uma garota com qualidades únicas que eu diria, selvagens.”

Você está morando em Nova York agora?
Não, eu ainda estou morando na Califórnia. Eu sou uma garota de L.A., nascida e criada.

O que significa ser uma “L.A. Girl?”
Há certa facilidade sobre nós. Eu amo que eu tIVE que crescer lá. Eu amo a natureza, caminhadas e eu amo ficar ao ao livre.

Há coisas que você não deve fazer por causa de seus contratos de patrocínio?
Não, mas existem coisas que meus agentes, e especialmente minha mãe, não ficariam felizes se eu estivesse fazendo, mas são coisas que eu faço e depois digo para eles não ficarem bravos. Eu sou muito aventureira. Eu adoro me divertir e fazer coisas malucas.

Você fez alguma coisa maluca ultimamente?
Recentemente, eu fui saltar de pára-quedas. Eu não contei a ninguém até depois de fazer isso porque sabia que eles ficariam bravos comigo se eu dissesse que eu estava indo saltar de pára-quedas. Eu amo a adrenalina, eu amo ser selvagem. Eu sempre fui assim. Eu aprendi a dirigir jovem.

Quem te ensinou a dirigir?
Meu pai. Meu pai adorava golfe e fazia com que eu e minha irmã Kylie jogássemos golfe. A única maneira que eu iria é se eu pudesse dirigir o carrinho de golfe. Então eu tenho dirigido carrinhos de golfe desde que eu tinha seis anos. Depois disso, lembro-me de ser muito jovem e implorava ao meu pai para que me deixasse dirigir depois da escola. Na nossa rua quando estávamos perto de casa. Eu devo ter cerca de dez anos de idade.

Quando você sai para a festa quem te leva para casa?
Eu sou sempre a motorista designada. Meus amigos me chamam de vovó ou mãe do grupo. Eu sou muito protetora dos meus amigos e me certifico de que todos estejam seguros.

Você ainda anda a cavalo?
Sim, eu cresci em um bairro com mais cavalos do que pessoas. Eu ia para a casa dos vizinhos brincar com o pônei deles. Eu cavalguei seriamente por 12 anos e eu parei há dois anos porque eu fiquei ocupada com o trabalho. Eu voltei a andar recentemente e agora eu tenho dois cavalos, Belle e Dylan, e foi a melhor decisão da minha vida. É igual terapia.

Você já caiu do cavalo?
Eu já fui jogada de cavalos mais vezes do que eu posso contar. Mas você sempre tem que voltar!

Cavalos são muito tímidos. Como você se comunica com eles?
Eu era bem tímida, extremamente tímida. Eu não tinha muitos amigos no ensino fundamental. Eu sou uma pessoa muito independente então eu internalizo muitas coisas e sou uma pensadora. Pessoas acharam que eu estava sendo rude, mas eu apenas não sabia o que dizer. Meu trabalho me ajudou a ser menos tímida e mais verbal e me tirou da minha concha.

O que te fez tão tímida?
Acho que parte disso é porque eu cresci em uma família onde eu tive irmãs que eram mais velhas que eu e eu me inspirava muito nelas e eu não sabia se era tão legal quanto elas. E Kylie sempre foi muito extrovertida. Ela era selvagem e entretia todos fazendo pequenos shows. Eu não sabia se era tão legal quanto as minhas irmãs e isso me segurou.

Sério?
Eu ficava no fundo, preocupada sobre não estar no mesmo nível.

E agora você está mais livre?
Com certeza. Eu ainda sou uma observadora louca, mas me abri muito.

O que você faz para observar as pessoas?
Eu tenho uma câmera que eu sempre levo comigo e eu adoro capturar momentos espontâneos. Eu deveria começar a levar um caderno comigo e escrever sobre as pessoas que eu acho fascinantes. Eu tenho uma boa memória. Eu tento anotar as coisas no meu cérebro.

Por que não vemos essas coisas em suas redes sociais?
Eu cresci em uma família que sempre foi tão pública desde que eu tinha 9 anos. Eu não me importava. Mas eu sempre pensei que eu queria ter controle sobre a minha própria imagem e eu pensei que havia algo precioso em manter muitas coisas privadas da sua vida.

Você acha que ser superexposta poderia ser uma doença?
Eu não sei se doença é a palavra certa, mas eu acho que no mundo em que vivemos, com TV e as redes sociais, isso pode ser tóxico e todos nós precisamos de uma pausa e limites disso. Eu tento dar um tempo e relaxar. Eu comecei a ter problemas no meu pescoço de tanto olhar para o meu telefone, e não é algo do qual tenho orgulho.

Você coloca limites em si mesma?
É mais aleatório, mas agora que eu penso sobre isso, eu me limito bastante. Se eu perceber que estou no meu celular por muito tempo, eu paro de mexer.

O que é “muito?”
Muito para mim é quando você está no jantar com todos os seus amigos e não há nada que você precisa fazer no seu celular e sem saber o que fazer com as suas mãos, etc. você fica olhando o Instagram por nenhuma razão. Esses são os momentos que eu percebo que é muito.

Você pede para as pessoas ao seu redor fazer a mesma coisa?
Sim. Às vezes. Há um jogo que eu jogo com os meus amigos onde todos colocamos os nossos celulares no meio da mesa em uma pilha e quem pegar o celular primeiro tem que pagar o jantar.

Você já teve que pagar?
Sim, mas apenas porque eu recebi uma chamada e eu tive que responder porque eu estava preocupada que talvez era uma emergência.

Você já postou uma foto de si mesma chorando?
Não no Instagram mas as pessoas já me viram chorando em Keeping up with the Kardashians. Instagram começou como algo agradável e divertido para postar fotos divertidas e é assim que deveria ser.

Você acha que os seus seguidores entendem que a sua vida não é exatamente como as coisas que você mostra nas redes sociais?
Isso é algo que eu penso bastante. As contas das pessoas no Instagram são curadoria dos donos. Você está literalmente selecionando os momentos de ouro de sua vida e isso pode fazer a sua vida parecer muito mais do que é, e você facilmente pode enganar as pessoas, intencionalmente ou não. Pode ficar confuso. Ninguém é perfeito, ninguém tem uma vida perfeita.

Tradução e Adaptação: Equipe Kendall Brasil

Fonte: Vogue Italia

Aproveite para ler também:
Espere! Não se vá antes de deixar o seu comentário sobre o post


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



O Kendall Brasil não possui nenhum tipo de contato com a Kendall ou alguém próximo a ela, tampouco somos ela, somos apenas um fã site feito por fãs e para fãs a fim de informar e unir os fãs da Kendall no Brasil. Todo o conteúdo postado aqui pertence a equipe do Kendall Brasil, caso utilize pedimos que dê os devidos créditos à nós, fica proíbida a cópia total ou parcial deste layout assim como, também deste site! Esperamos que tenham gostado da visita e voltem sempre!