Kendall Jenner concede entrevista marcante para Harper’s BAZAAR

A Harper’s BAZAAR US tem como estrela em sua capa da edição especial de 150 anos, ninguém menos que Kendall Jenner. Em uma entrevista descontraída com Dan Peres em um café na Bond Street, Nova York, Jenner fala sobre seus pais, seus problemas com sua segurança pessoal, sua família famosa, relacionamentos e diversos outros assuntos que surgem no decorrer da conversa. Confira na íntegra a entrevista completa e traduzida, abaixo:

KENDALL JENNER COMO UMA PESSOA ADULTA

A supermodelo se abre sobre os temores por sua segurança, seu clã famoso, e crescer como uma moleca.

 

Há fragmentos de lembranças. Eles vêm involuntariamente, aparecem – como lapsos de memórias – a cada poucos minutos. Eles apimentam a conversa, não pontuando nada de grande importância, mas eles são úteis… Necessário, às vezes.

“Eu sou jovem”, Kendall Jenner vai dizer quando discutir sobre sua vida amorosa.

“Mas eu sou jovem”, acrescenta ela ao falar sobre sua primeira casa.

“Eu sei, eu sou jovem”, ela declara depois de mencionar o quanto ela quer ser mãe algum dia.

Ela só tem 21 anos, mas ela já viveu uma vida longa. Ou pelo menos é assim que se sente. Ela e seus pais extremamente famosos e irmãos que conseguiram chegar a quase todos os cantos da cultura popular, como algum tipo de polvo mutante com um inquebrável sufocar de consciência coletiva. Parece que eles estiveram lá – em nossas cabeças, em nossas telas, em todos os lugares – por eras, como parte do tecido deste país, como a própria bandeira americana, embora tenha sido fortemente deslumbrante e aparado com peles. Então, sim, os lembretes são úteis. Kendall Jenner é, de fato, jovem.

“Quando eu fiz 20 anos, lembro-me de estar tipo, ‘Merda, eu estou na minha era dos 20’s.’ Todo mundo diz, ‘Estes são os melhores anos de sua vida. Viva-o intensamente!’ “ ela diz. “Então talvez eu esteja me lembrando disso.”

Quem poderia culpá-la? Kendall tinha 11 anos quando Keeping up Wtih the Kardashians estreou no outono de 2007, expondo sua vida, e as vidas do resto da família Jenner-Kardashian para o exame público – e, naturalmente, a crítica. Mas a vida se move rapidamente quando é medida pelos ratings da Nielsen e seguidores de mídia social e milhões de dólares em contas correntes.

Não que ela se arrependa de dizer, “Ok”, no dia em que sua mãe perguntou a ela e sua irmãzinha, Kylie, se elas queriam participar do programa de televisão que estava prestes a começar a ser filmado em sua casa em Calabasas, Califórnia.

“Nós éramos crianças normais”, diz Kendall sobre si mesma e Kylie. “As câmeras mal nos perturbaram.”

Normal é relativo, é claro, mas para ouvir Kendall dizer isso, ela teve uma infância maravilhosa. Havia cavalos, MotoCross e Barbies. Houve estreias de filmes com um pai superstar e horas na frente da TV assistindo As Visões da Raven e Zack & Cody: Gêmeos em Ação. E havia seus amados shorts de camo, que ela tirou apenas o tempo suficiente para lavar – por insistência de sua mãe – de vez em quando.

“Ela usava esses shorts todos os dias”, lembra a mãe, Kris Jenner. “Ela não era a garotinha feminina com babados.”

Ela era exatamente o oposto.

“Eu era uma grande moleca”, diz ela. “Eu tive uma fase onde eu usava roupas de menino. Estava sempre saindo com garotos. E eu sempre me liguei mais com garotos.”

Isso não é fácil, especialmente quando Kourtney, Kim e Khloé Kardashian são suas irmãs mais velhas. Elas levam a feminilidade para níveis estratosféricos.

“Eu sempre fui a diferente”, diz Kendall. “Quero dizer, eu sou uma garota e eu gosto de ser uma garota, mas eu nunca fui como minhas irmãs. Eu acho que eu peguei isso de meu pai. Eu diria que eu sou mais uma Jenner do que uma Kardashian.”

Ela ainda não gosta de vestir-se tanto quanto suas irmãs fazem, embora dada a sua profissão, ela não tem muita escolha. Ela documenta sua vida como uma das melhores modelos do mundo para seus milhões de seguidores do Instagram e em seu aplicativo, que custa US $ 2,99 por mês para acesso a informações do seu cotidiano, como “Os snacks que eu sempre como (& Onde encontrá-los)”, “4 coisas que eu quero roubar da Kim “, e” O quanto você gosta de mim? “ (Esse último é um quiz, que eu, um pai de meia-idade de três crianças com uma minivan, fui pego olhando, mas não fazendo, no trem para minha pequena cidade suburbana.)

A Semana de Moda de Nova York acabou de chegar ao fim, e Kendall é decididamente casual – seus cabelos estão em um bolo desgrenhado em cima da cabeça, o que ela chama de “apenas um pouco” de maquiagem e usando uma camiseta da grife Supreme, calças de couro e uma jaqueta jeans da Balenciaga – quando ela chega para o café da manhã em um café tranquilo na Bond Street. Às vezes, as modelos são de aparência incomum – mais impressionante do que a beleza clássica. A beleza de Jenner é inconfundível. Ela não entra em foco lentamente quando você a conhece. Não, está presente no momento em que a conhece. Ela é graciosa e educada, e torna um ponto de fazer perguntas, e não apenas respondê-las. Ela está atenta sobre não citar nomes, referenciando “uma amiga” ao invés de “Gigi”. Finalmente, e isso é grande, ela aparece no tempo. Ela aparenta ser uma menina grata por viver seu sonho – um sonho que ela teve por tanto tempo quanto pode se lembrar.

Poucos dias antes do Dia do Trabalho, em 2010, Kendall subiu em um ônibus para a sinuosa viagem de duas horas de Los Angeles a Santa Bárbara com o restante da escola que estava entrando na nona série do colégio Sierra Canyon. Pouco depois de terem chegado a uma pousada na costa da Califórnia para seu retiro de calouros, os professores começaram a levar as crianças através de uma série de exercícios para se conhecerem, que sem dúvida se misturaram com gemidos dos adolescentes privilegiados. Kendall tinha apenas 14 anos, um ano a menos de quando teve eu primeiro desfile, mas já uma veterana em reality show, estava entediada. Os alunos foram convidados a escrever cartas para seus futuros eu’s. Kendall encontrou uma sombra na relva, sentou-se de costas contra uma árvore e escreveu sua carta (disponível para todos verem por esse preço baixo de US $ 2,99 por mês), com rostos sorridentes, corações e um número indevido de pontos de exclamação.

“Querida eu,” ela começa, antes de mencionar que ela está filmando a 5ª Temporada da KUWTK. “Meu objetivo na vida é me tornar uma grande modelo da minha era e viajar para lugares realmente incríveis.”

Não há contestação de que Kendall tenha feito exatamente isso. Ela acabou de voltar da Índia e Bangkok, e está voando para Londres em algumas horas. “Ela não tem medo de trabalho duro”, diz seu pai, Caitlyn Jenner, o ex-campeão olímpico conhecido como Bruce Jenner antes de mudar oficialmente seu nome e gênero em 2015. “Eu disse a ela desde o início: “A maneira que você está indo, tem tudo para ser bem sucedida nesta vida, porque o segredo é trabalhar duro. Ninguém vai lhe entregar nada de mãos beijadas.”

Mas isso é exatamente o que as pessoas pensavam que estava acontecendo quando ela surgiu no cenário da moda há alguns anos. Afinal, ser uma “Kardashian” pode abrir portas. E, convenhamos, mesmo que Kardashian não seja seu sobrenome, é impossível separá-la da máquina que o sobrenome Kardashian se tornou. Por isso, era inevitável que algumas modelos de passarelas comentassem sobre o assunto. “Eu acho que as pessoas tinham medo de dizer isso na minha cara”, diz Kendall, “mas eles provavelmente estavam falando nas minhas costas”Ela acha que ela é muito legal e pé no chão consigo mesma.

Por causa desses tipos de comentários, Kendall agora é indiscutivelmente a estrela mais brilhante do mundo de modelagem, tornando-a uma referência para se apresentar a novas garotas nos bastidores e garantir que elas se sintam confortáveis. Ela não gosta da ideia de alguém se sentir como um estranho. E quando uma garçonete acidentalmente derrama uma bebida na mesa na frente dela, Kendall ri e rapidamente ajuda a limpar. Talvez seja apenas a maneira que ela foi educada por seus “pais incríveis”, como ela os chama, ou talvez seja que ela não quer que ninguém jamais pense que ela não tem nada de relevante novamente.

De qualquer maneira, ela parece ser uma espécie de freguesa fiel no Bond Street café. Ela sabe o menu de cabeça (“a torrada com manteiga de amendoim é impressionante, mas faz um pouco de sujeira para comer”) e adora esta parte do centro de Nova York. Não é muito longe do apartamento que ela normalmente fica quando está na cidade. Esta semana, no entanto, ela estava no Hotel Mercer, porque o apartamento estava ocupado por seus proprietários: sua irmã e cunhado. “É apenas um quarto, então eu não vou dormir no meio deles”, diz ela. “Não sei como demonstrar carinho com Kim e Kanye.”

Não que isso importe. Kendall não tem dormido bem ultimamente. O jet lag desempenha um papel, sim. Mas também há uma ansiedade incapacitante nos últimos meses. E enquanto Kendall sempre foi ansiosa (“toda a minha vida”), isso já começa a ir para um nível superior. Começou a crescer mais em agosto passado, quando ela dirigiu para sua casa em West Hollywood e encontrou alguém sentado na beira de sua janela. O homem caminhou até seu carro e começou a bater na janela do mesmo. Aterrorizada, ela conseguiu dirigir e pedir ajuda, mas o medo permaneceu. As coisas ficaram ainda piores em outubro passado, quando Kim foi roubada com uma pistola mirada em sua cabeça em seu apartamento em Paris, o que levou Kris a aumentar a segurança para toda a família.

“Há um monte de pessoas assustadoras lá fora”, diz Kris. “Nós vivenciamos isto em primeira mão. É como uma fortaleza agora em cada casa.” (Talvez, mas infelizmente isso não impediu alguém de fazer com que 200.000 dólares em joias fossem roubados da casa de Kendall em março deste ano).

Agora Kendall tem um segurança armado com ela em todos os momentos, algo que ela se sente mais segura por ter, mas tem crescido a aversão. Ele a acompanha até o café, buzz-cut e barril-chested, como um capanga de desenhos animados. “Eu não me sinto normal,” ela diz, “e eu gosto de me sentir tão normal quanto possível.”

E embora que para Kendall, sem dúvida, é mais seguro ter alguém sentado fora de sua casa todas as noites e vigiando do outro lado da porta de cada quarto de hotel que ela fica, a ansiedade ainda tem problemas em desaparecer. “Acordei no meio da noite enlouquecendo”, diz ela. “Ataques de pânico completos.Eles me acordam do meu sono, e eu preciso me levantar e eu me vejo no espelho e eu estou enlouquecendo e chorando.”

É uma confissão improvável de uma supermodelo normalmente vigiada. Há uma auto-consciência de Kendall Jenner que consegue nadar contra a poderosa corrente da fama de sua família. Ela tentou permanecer tão privada quanto possível para alguém com mais de 100 milhões de seguidores em mídias sociais. Manter a privacidade pode ser uma tarefa difícil quando as câmeras a seguem ao redor do dia e da noite – tanto em casa com a equipe de KUWTK quanto em todos os lugares fora de casa pelos implacáveis paparazzi.

Mas Kendall trabalha nisso. “Mais do que o resto da minha família, eu acho”, ela diz sobre suas tentativas de privacidade. “Só porque eu acho que é poderoso e além disso, acho que as pessoas sempre querem o que não podem ter. É bom ter algum mistério.” No entanto, nenhuma quantidade de restrição pessoal pode parar o rumor de intervenções cirúrgicas. Com o tempo, as fofocas sugeriram que Kendall tinha desativado sua conta Instagram, a fim de fazer uma cirurgia plástica. “É literalmente a coisa mais louca”, diz ela. “Eu e minha família ficaremos presos às fofocas desse tipo para o resto de nossas vidas.”

A vida amorosa de Kendall tem sido uma área de especial fascínio da mídia, onde os relacionamentos de suas irmãs se desenrolaram com toda a graça de uma maratona de filmes de romance. Havia rumores de que ela estava namorando Harry Styles, da boy band One Direction. Depois, houve rumores sobre Nick Jonas. Estes dias é A$AP Rocky, pelo menos de acordo com a Internet. Nada disso parece perturbá-la.

“Eu não vou me casar com ninguém”, diz ela. “Eu não estou noiva.Não há nada a longo prazo ou sério assim na minha vida. Se eu não estou totalmente, totalmente com alguém, por que eu iria torná-lo público para todos os outros? Se eu nem sei o que realmente está acontecendo, por que eu deixaria o mundo saber?”

Ela testemunhou em primeira mão a pressão e a tensão que a publicidade pode colocar em um relacionamento. “Acho que é algo sagrado”, acrescenta. “É algo entre duas pessoas, e a opinião de ninguém mais precisa estar envolvida nisso.As pessoas querem começar o drama.Se eu tivesse um namorado, as pessoas iriam dizer todas essas coisas que provavelmente iriam fazer com que nós rompêssemos.”

Ok, isso faz muito sentido, mas ela está namorando alguém especial? “Eu estou fazendo isso do meu jeito,” ela diz com um sorriso. – “Estou me divertindo, estou sendo jovem.” Ela responde, mas não responde com a facilidade de um insider político experiente.

“Kendall tem o dom de ser capaz de lidar com situações complicadas”, diz Kris.

Em termos de situações complicadas, teve um momento em 2015, que isso progrediu a níveis ensurdecedores. Foi quando Caitlyn passou por uma transição de gênero publicamente notável. Apesar de relações incrivelmente fortes com sua mãe e suas irmãs, Kendall sempre foi uma menina do papai. “Quando ela nasceu eu estava gerenciando a carreira de Bruce, então eu tinha que trabalhar todos os dias”, lembra Kris. “Bruce era responsável por levá-la ao redor, dar carona para a escola e tudo o mais. [Caitlyn] foi sempre muito próxima dela.”

O pai de Kendall foi tanto um herói para ela como foi para uma geração de americanos. Ela brincou com figuras de ação de Bruce Jenner quando criança e assistiu atentamente em vídeos cassetes como foi comemorado, anos antes, a conquista da medalha de ouro do pai – conquistado pelo desempenho nos Jogos Olímpicos em Montreal de 1976, e em eventos através do país. E ela se consolou quando viu o rosto dele na porta da casa de uma amiga tarde da noite, quando, ainda adolescente, insistiu em voltar para casa cedo de uma festa de pijama. “Se eu pudesse voltar no tempo, eu voltaria para ver meu pai ganhar as Olimpíadas”, diz ela. “É uma parte enorme de sua vida, e eu não consegui fazer parte dela.”

Dizem que o amor de uma filha por seu pai é incomparável, e esse é certamente o caso de Kendall. Mas quando ela se tornou uma adolescente, ela começou a sentir que algo era diferente. No entanto, o amor nunca diminuiu.

Ela e suas irmãs foram encontrando pistas ao redor da casa. Uma peruca aqui. Algum esmalte lá. “Foi como uma investigação por muito tempo”, diz Kendall. “Nós encontrávamos pequenas coisas e pensávamos, ‘Isto não é normal.’ Por um minuto, nós ficamos tipo, ‘Ok, ele está traindo minha mãe?’ E então nós dizíamos, Eu não penso assim.’

Depois, um ano antes de Caitlyn se apresentar formalmente à família, foi quando Kendall, com sede no meio da noite, desceu as escadas para pegar um copo de água, viu … ela. “Meu coração caiu”, diz ela. “Era quando ela se vestia como ela mesma, às quatro da manhã, antes de nos levantarmos. Então, foi assim, Whoa,’ por um segundo.”

“Minha maior preocupação desde o início foi que eu nunca faria algo que machucasse meus filhos”, diz Caitlyn. “Ao longo do caminho, quando eu estava me esgueirando no escuro, eu fui pego várias vezes.Eu pensei que estava sendo inteligente, e em alguns casos, bem…, as coisas aconteceram.”

Até o momento em que Caitlyn disse aos filhos, Kendall disse que ela já “sabia”, mas tinha estado em negação. “Quando ela nos disse, e nos disse que ia ser uma coisa real, foi um par de emoções durante meses”, diz ela. “E se eu falasse sobre isso, eu choraria, porque eu sentia que estariam matando alguém… perdendo alguém. A pessoa ainda estaria lá, é claro, mas fisicamente você está perdendo alguém.” “Foi meu pai com quem eu cresci minha vida inteira e quem me criou. É um ajuste, com certeza. Mas honestamente, depois de um tempo você começa a perceber que esta pessoa ainda está viva. Esta pessoa ainda está aqui. Eles ainda são uma bênção. Eles ainda são impressionantes. Eu percebi que eu deveria apenas ser grata por eu ter meu pai comigo. E isso começa a se tornar normal. Você está tipo, Ok, legal.

Kendall ainda confia em seu pai tanto quanto ela já confiava, chamando-a frequentemente para lhe dar conselhos, principalmente quando se trata de colecionar carros. Caitlyn, com uma ajuda do amigo de longa data, Jay Leno, a ajudou a encontrar seu Corvette de 1956 – um carro que Kendall quase se recusou a comprar.

“Merda! Eu não gosto da cor”, lembra Kendall ao pensar no carro do azul quando um dos especialistas em carros de Leno o encontrou depois de uma busca de um mês. Então ela achou que ela iria comprá-lo e depois apenas pintá-lo.

“A cor do carro é fantástica para a época”, disse Caitlyn. “Eu finalmente a convenci,Não toque na tinta, deixe como está.’

Em uma última análise, Kendall concordou e comprou o carro vintage. “É uma cor desagradável”, diz ela, procurando seu telefone por uma foto. “Agora todo mundo sabe que é meu carro, mas eu adoro isso.”

“Temos um vínculo especial”, acrescenta Caitlyn, “porque ela é muito parecida comigo de muitas maneiras, muito trabalhadora, atlética, adora carros e eu não poderia estar mais orgulhoso dela”.

É fácil esquecer, talvez, que a família de Kendall – que com todas as várias linhas de roupas, produtos de beleza, jogos de celulares, tabloides chocantes, divórcios e Kanye – é uma verdadeira família e não apenas um grupo de pessoas bem pagas. Não são o tipo de atores que correm de volta para suas próprias vidas depois que alguém grita, “Corta!” e o brilho das luzes se desligam.

“Eu não penso nisso como ‘os Kardashians’ entre aspas”, diz Kendall. “Eu penso nisso como minha família, provavelmente é difícil para qualquer um entender isso, mas é normal para mim”.

 

Confira os scans da revista em nossa galeria clicando nas miniaturas abaixo:

Harper’s BAZAAR (May)


A edição de Maio da Harper’s BAZAAR US, edição especial de aniversário de 150 anos estará disponível nas bancas a partir do dia 25 de abril.

 

 

Fonte: Harper’s BAZAAR US

Comments are closed.

KENDALL JENNER BRASIL © 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | DESENVOLVIDO POR KÉZILY CORREA